Nem o mau tempo afastou a legião de fãs do NOS Primavera Sound

THE BREEDERS @ NOS PRIMAVERA SOUND 2018 _ 7-9 Junho _ 2º dia _ © Hugo Lima | hugolima.com | fb.me/hugolimaphotography | instagram.com/hugolimaphoto

O NOS Primavera Sound 2018 contou pela primeira vez com mais de 100.000 visitantes. A sétima edição começou com uma warm up party, na passada noite de quarta-feira (dia 6 de Junho) no centro da cidade do Porto, que contou com um dos grandes e reconhecidos nomes associados à House Music, Fatboy Slim, para encher a Avenida dos Aliados.

Desde o anúncio do cartaz que o Porto Primavera Sound 2018 impôs respeito, competindo frente a frente com outros importantes festivais! As potencialidades do Primavera se tornar “O” festival do verão são enormes. Estiveram presentes nomes já bem conhecidos da indústria musical como A$AP Rocky, Nick Cave, Lorde, Jamie XX, sem esquecer as bandas que nos levaram a querer ir ao Primavera como Rhye, Four Tet, Thundercat, Unknown Mortal Orchestra, Mogwai, The War on Drugs, Kelela, Joe Goddard e o fecho com Talaboman.

NICK CAVE AND THE BAD SEEDS @ NOS PRIMAVERA SOUND 2018 _ 7-9 Junho _ 3º dia
_ © Hugo Lima | hugolima.com | fb.me/hugolimaphotography | instagram.com/hugolimaphoto

Desde o primeiro ao último dia a organização conseguiu juntar diferentes estilos musicais, distribuídos pelos palcos “NOS”, “Superbock”, “Seat”, “Pitchfork” e “Primavera Beats”, juntando fãs de diferentes géneros musicais sem que nenhum se sentisse deslocado. Este é um dos sucessos do Primavera. Celebra a música como um todo, não sendo exclusivo para determinado estilo musical ou para um determinado tipo de fã.

A qualidade dos nomes associados ao cartaz não se fica pelas bandas reconhecidas pelos fãs ou pela indústria musical, mas sim apostando em nomes não tão conhecidos pelo público geral como Arca, Superorganism, Abra, Solar Corona, Ibeyi sem nunca esquecer um dos pratos fortes da música eletrónica deste festival: Four Tet, Talaboman (dupla composta por John Talabot de Barcelona e Axel Boman de Estocolmo), Floating Points, Marcel Dettmann, entre muitos outros.

Como se não bastasse, para além da diversidade e qualidade musical oferecida pela Primavera Sound, usufruímos de um dos melhores espaços verdes da cidade do Porto, o Parque da Cidade. O Porto está cada vez mais na moda e é visitado anualmente por um número elevado de turistas. Se estes pensavam duas vezes se visitariam ou não a cidade do Porto este ano, tiveram grandes razões para o fazer e desfrutar deste festival.

O NOS Primavera Sound apresenta uma organização exemplar: boas vibes, preocupações ecológicas, espaços de descanso para recuperar energias distribuídos por todo o recinto, sítios para recarregar o telemóvel, lojas como a Fnac, Levi’s… o que o torna um dos melhores festivais a nível nacional. Na realidade tudo que necessitamos num festival encontramos sempre no NOS Primavera.

LORDE @ NOS PRIMAVERA SOUND 2018 _ 7-9 Junho _ 1º dia
_ © Hugo Lima | hugolima.com | fb.me/hugolimaphotography | instagram.com/hugolimaphoto

Bandas como Lorde, Fever Ray, The Breeders, Father John Misty corresponderam ao esperado. Performances como a de Joe Goddard de início a fim com chuva (como muitas outras durante o último dia do festival, Sábado) foram das nossas favoritas onde tocaram temas esperados como Music is the Answer ou Gabriel, ou Four Tet que foi perfeito para dar continuidade a festa no dia 8 (sexta-feira).

A performance de Lorde foi um ensaio de diálogo com o público e um passeio pelo palco no seu vestido rosa brilhante. Foram tocados os temas esperados e mais conhecidos como Royals e o fecho do concerto deu-se como seria de esperar com o tema Green Light que causou uma enorme ovação pelos fãs presentes no palco principal.

O Primavera é um festival especial, com bastante proximidade entre os palcos, o que torna fácil a circulação e descobrir música que se goste e um novo artista. Aqui estamos sempre a ouvir música, uma vez que mal termina um concerto, passado uns 10 minutos está a começar outro no palco ao lado, o que significa que há sempre algo a acontecer, é só reabastecer a bebida e trincar algo para termos mais uma experiência. Em nenhum dia, esperamos mais de 2 minutos para pedir uma bebida (5€ por um Super Bock de 0,5cl), por outro lado para lanchar/jantar na zona de alimentação já tivemos que esperar uns 10 minutos ou mais dependendo da hora. Mesmo assim, o Primavera inovou e a lembrar-se das pessoas com pouca paciência para estar em filas e associou-se à Uber eats. Bastava baixar a aplicação e fazer o pedido pela Uber eats, e os funcionários de mala verde às costas iam buscar a nossa refeição e traziam-nos a uma zona da Uber localizada no festival. A Via Verde também marcou presença no Primavera, com funcionários que aguardavam por nós nas filas. Tal acontece quando uma organização aposta mais em recursos humanos e em empresas que tornem a “estadia” no festival o mais simples e descomplicada possível.

As pulseiras de acesso ao Primavera eram acompanhadas por um chip que tínhamos que passar numa app sempre que déssemos entrada e saída, ou utilizar um cartão com as mesmas funções.

NOS PRIMAVERA SOUND 2018 _ 7-9 Junho _ 3º dia
_ © Hugo Lima | hugolima.com | fb.me/hugolimaphotography | instagram.com/hugolimaphoto

O mau tempo foi o único ponto negativo a apontar durante o decorrer do Primavera. Apesar de a organização não ser responsável, preveniu-se e ofereceu a todos os festivaleiros, guarda chuvas e capas impermeáveis da NOS, o patrocinador principal do Primavera Sound.

Não há dúvida de que o festival português consolidou as fundações que o tornam um dos eventos de referência a nível europeu, onde recebeu público de mais de 60 países diferentes.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA